sábado, 18 de abril de 2009

BIOGRAFIA

Eugénia Brito (Arcos de Valdevez, 1973) é Licenciada em Ensino de Português e Inglês, pela Universidade do Minho. Lecciona, com alguma regularidade, desde 1999, as disciplinas de Inglês e Expressão Dramática no Ensino Profissional.
Em 2002 publica, em Edição de autor, o romance epistolar Carne Torpe e é nessa altura que resolve olhar de longe para o seu país, a sua gente e todos os seus universos pessoais, iniciando períodos intercalados de estadias no estrangeiro, assegurando a sobrevivência com trabalhos no ramo da hotelaria, a tempo parcial, dedicando o resto do tempo à escrita.
Não ganhou qualquer prémio literário (seguramente também porque nunca concorreu a nenhum); não participou em cursos de escrita criativa ou eventos literários de qualquer espécie. Não advoga filiação ou influência literária alguma, assumindo o universo literário como o mais imperfeito da humanidade. Tem um fraquinho pelo surrealismo. Acha uma perfeita perda de tempo ler duas vezes o mesmo autor, mas fê-lo inúmeras vezes. Tenta ser sempre coerente, mas às vezes os actos antecipam-se à reflexão. Considera o acto da leitura o mais criativo de todos, por isso lê com prazer e como quem cria. Colaborou com um jornal (o Povo da Barca) e uma revista (365), porque lhe apeteceu.
Para além do livro de cartas “Carne Torpe”, publicou o romance “Fecha a Porta Devagar”, com edição do Atelier de Produção Editorial (2008).
À data de criação deste Blogue vivia em Berlim sem bolsa e de bolsos vazios, mas ainda assim a escrever. Nesta cidade completou o seu terceiro livro, “zapping sobre as madrugadas idênticas”*****e iniciou o quarto trabalho de ficção...

Errata e atualizações (Novembro de 2012)

a) Em vez de: Não ganhou qualquer prémio literário (seguramente também porque nunca concorreu a nenhum), leia-se: Uma vez concorreu a um prémio e ganhou-o;
b)***** Romance vencedor do Prémio Literário Cidade de Almada-2010;
c) Onde constavam as reticências(...), acrescente-se agora: "recentemente concluído" e que se mantenham, depois, as reticências.

3 comentários:

  1. Ainda bem que, finalmente, te apeteceu colar a tua vida literária na internet. Já não era sem tempo!!!
    Este é post inaugural que muito me honra. Espero que outros posts conduzam ao reconhecimento público desse talento, meu enorme vulto da literatura arcoense!!!!! :-)

    ResponderEliminar
  2. É um exercício do género: descubra a(s) diferença(s)!:)

    ResponderEliminar